Vinte e dois garimpeiros de quatro associações mineiras formados no uso do método gravitacional bórax na extracção mineira artesanal

Decorreu durante os dias 19 a 23 de Outubro do corrente ano, nas comunidades de Nanlia e Waqueia, distrito de Namuno, província de Cabo Delgado, a réplica no uso do método gravitacional borax na extracção mineira artesanal do ouro, tendo participado vinte e dois garimpeiros de quatro associações mineiras.

A formação no uso deste novo método, designado ‘método gravitacional borax’, destinava-se a fazer réplica da formação inicial ministrada em 2018 por um garimpeiro oriundo das Filipinas. Por outro lado, este treinamento permitiu avaliar o nível de assimilação do novo método pelos garimpeiros associados que trabalham nos dois locais, bem assim produzir vídeos tutorial que servirão de instrumento didáctico para a réplica para demais garimpeiros.

Sendo um assunto transversal, a réplica contou igualmente com a participação de representante de diversas instituições, como o Grupo Multissectorial de Mineração (GMM), a Direcção Provincial de Desenvolvimento Territorial e Ambiente, os Serviços Provinciais de Infraestrutura (antes Direcção Provincial dos Recursos Minerais e Energia DPREME) e a Direcção Provincial da Saúde.

A introdução deste método na extracção minera artesanal visa a substituição gradual do processo de amalgama usando o mercúrio, que é um metal pesado com impactos negativos para o meio ambiente e para a saúde humana. Este metal tem elevados níveis de reactividade e bioacumulação, o que significa que estes elementos além de serem capazes de desencadear diversas reacções químicas não metabolizáveis (os organismos vivos não podem degradá-los), quando lançados na água, no solo ou ar, esse elemento pode ser transformado de metálico para orgânico e absorvido pelas plantas e/ou animais que fazem parte da cadeia alimentar, podendo provocar intoxicações ao longo da mesma. Na saúde humana, pode provocar problemas como psicose, mudanças de personalidade, ansiedade (medo, pânico, nervosismo), depressão, perda de memória, tremores, tosse, pneumonia, gengite, entre outras.

Entretanto, o uso de bórax tem inúmeras vantagens, sendo que entre outras, um produto legalmente comercializável e não maléfico ao ambiente e na saúde das pessoas. Por outro lado, o processo da queima com recurso ao bórax, permite obter ouro maciço e limpo pronto para ser comercializado.

Recorde-se que o Centro Terra Viva (CTV) está desde 2017, em parceria com a Medicus Mundi, a implementar o projecto `mineração artesanal, direitos ambientais e culturais em Cabo Delgado` nos distritos de Namuno, Montepuez e Ancuabe, com o objectivo geral de dignificar a actividade mineira artesanal.

04-11-2020