Paralegais femininas comunitárias do Distrito de Massingir capacitadas em matérias de Associativismo e Mudanças Climáticas

 

Decorreu no Distrito de Massingir em meados de Julho, entre os dia 20 a 22, a capacitação de 15 paralegais femininas comunitárias. O evento organizado pelo CTV visava dotar esse grupo, de conhecimentos sobre o funcionamento de uma associação e sobre as medidas de mitigação e de adaptação as Mudanças ciáticas tendo em conta o contexto local.  Constituíram temas ministrados durante os três dias, (a) constituição de uma associação (requisitos, membros, adesão); (b) estrutura de uma associação e os papeis dos órgãos sociais (c) funcionamento e importância de associações; (d) conceitos referentes as mudanças climáticas; (e) as causas e efeitos das mudanças climáticas; (f) medidas de mitigação e de adaptação. Foram igualmente feitas demostrações práticas de algumas técnicas que concorrem para a adaptação. Técnicas de melhoramento do solo, preparação de compostagem, insectididas, regas, entre outros.

Esta accão, é de extrema importância para as comunidades de Massingir e não só, pelo facto destas comunidades localizarem-se em zonas onde se observam secas prolongadas de forma cíclica. Também por estarem a ser afetadas negativamente pelo complexo processo de reassentamento de que foram submetidas com a criação do Parque Nacional do Limpopo em 2001.

Outro aspecto que adiciona valor a esta capacitação, é que capacitar uma paralegal feminina é capacitar a sociedade, se tivermos em consideração que em Moçambique as mulheres desempenham um papel fundamental no uso da terra para atividades de subsistência e elas constituem o grupo que compõe grande parte da força de produção agrícola.

Durante a capacitação as formandas comprometeram-se a por em prática e a partilhar os conhecimentos adquiridos, nas suas comunidades, contribuindo para a adoção de medidas de adaptação e mitigação as mudanças climáticas, nas novas vilas de reassentamento, inclusive exigir que aspectos ligados a resiliência as mudanças climáticas seja verificado no processo de reassentamento e criando e fortalecendo a associação de mulheres paralegais de Massingir, de modo a reforçar a sua capacidade de  atuação no distrito.

Esta actividade insere-se na implementação do projecto “Female Paralegals contributing to the integration of measures for adaptation and mitigation of climate change in local” e conta com o financiamento da Both Ends, nas províncias de Gaza, em Massingir e Zambézia, no distrito do Ile.

 

31-08-2021